Desde que o Programa Portal Único de Comércio Exterior – Portal Siscomex foi criado, em 2014, o Governo Federal busca maneiras de reduzir a burocracia, o tempo e os custos nas exportações e importações brasileiras.

Os esforços são para reformular os processos de controle – tornando-os mais eficientes e harmonizados – e criar um guichê único para centralizar a interação entre o governo e os operadores privados atuantes no comércio exterior.

Novas mudanças

A partir de 1º de outubro, novas regras entram em vigor e devem agilizar a fiscalização da importação de produtos agropecuários. A integração de várias plataformas ao Portal Único vai facilitar o gerenciamento e reduzir o tempo na liberação das operações consideradas de baixo risco.

“Todas as empresas que importam produtos de interesse agropecuário vão economizar tempo e dinheiro. O trabalho será reduzido, haverá menos erros no preenchimento de formulários e isso vai garantir mais eficiência e rapidez na liberação das cargas”, explica Arthur Achiles de Souza Correa, advogado especialista em Direito Aduaneiro, Empresarial e Internacional que atua no setor há 18 anos.

Foco em cargas de alto risco

As mudanças também devem ajudar o trabalho dos auditores fiscais, que passarão a atuar sobre uma única base de dados.

As operações consideradas de risco intermediário poderão ser dispensadas de vistorias físicas, já que a inspeção será feita com base na documentação. Dessa maneira, os auditores poderão concentrar a fiscalização nas cargas que representem alto risco aos consumidores e à agropecuária brasileira.

“Todas essas novidades vão garantir maior segurança e agilidade nos controles aduaneiros, porque a grande maioria das cargas que entram no país ocorrem sob a classificação de baixo risco”, finaliza Correa.

Sugestão de legenda

Integração de sistemas do governo dará agilidade na fiscalização aduaneira

 www.aasctl.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui